Resenha: O Lado Bom da Vida

Finalmente consegui um tempinho pra fotografar e fazer as edições pra resenha do blog! 😀

O livro que li há pouco tempo é “O lado bom da vida” (tem o filme, galera! já viram? estrelado por Bradley Cooper, Jennifer Lawrence e Robert De Niro!) e vou falar um pouco sobre ele, pra vocês.

Resenha: O lado bom da vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intríseca
Tradução: Alexandre Raposo

Sinopse: “Pat Peoples, um ex- professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra o que o fez ir para lá. O que sabe é que Nickki, sua esposa, quis que ficassem um “tempo separados”. 
Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.
Uma história comovente e encantadora, de um homem que não desiste da felicidade, do amor e de ter esperança.”


Minha nota: Já que vi o filme antes de ler o livro (infelizmente), comecei a ler e achei tudo muito igualzinho ao filme – ou será que alguns detalhes eu não me recordo? – devido a isso, enjoou no início. É praticamente metade do livro descrevendo jogos de futebol americano, e como nunca vi um e não entendo muito bem, também devido a isso deu aquela vontade de parar e deixar o livro de lado. Mas assim que retornei da minha semana de provas na escola, me empenhei a continuar a leitura, porque não gosto de pegar um livro pra ler e não chegar até o fim: fico naquela expectativa de “será que o final é bom?”. Então continuei. E me deparei com uma leitura extremamente atraente. Parecia que eu tinha pegado outro livro para ler. Deixou de ser aquela leitura cansativa para algo que prende a atenção.
Me apaixonei por Pat, por ele querer ser uma pessoa melhor depois que saiu do “lugar ruim” e por estar sempre vendo o lado bom das coisas. Me identifiquei com o personagem por enxergar a vida como filme, onde busca sempre seu final feliz.
Mas fiquei com raiva de Nickki, que nunca aparece na história. Não por ser má pessoa, mas pelo que dizem dela e pelo que ela fez; não foi muito feliz em suas escolhas.
Tiffany me surpreende com sua história – que aliás é bem parecida ao que retrata no filme, ambas histórias: de Pat e de Tiffany. E o jeito fascinante que ela consegue de ajudar Pat.
Em meio a jogos de futebol americano, concurso de dança e vários acontecimentos surpreendentes, Matthew Quick lembra aos leitores que milagres existem e que nossa vida nem sempre ganha o “final” que gostaríamos, mas pode ser melhor do que imaginamos. 

Agradecimentos a Gabriele, que me emprestou o livro. *-*
É isso! Minha segunda resenha de livro aqui no blog. Uma pena mesmo que eu não tenha tanto tempo pra ler, mas amo quando esse tempo me é permitido! rs
O que vocês acham da próxima resenha em vídeo?! Ficaria menos cansativo pois vocês não precisariam ler tanto? hahaha Podem me dizer aí! Até a próxima 😉
Beijos!

Resenha: Anna e o beijo francês

Oi gente!!! Finalmente vamos começar essa nova página! Agora é oficialmente Blog da Joy! 😀
O primeiro post é a resenha de um livro que li recentemente e amei! Cuidado com os spoillers ~

Resenha: Anna e o beijo francês
Autora: Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Tradução: Fabiana Paganini de Andrade

Anna Oliphant não está nada feliz por ter de se mudar para Paris, devido a vontade de seu pai, um famoso escritor norte-americano, de colocá-la em um colégio interno.
Na verdade, Anna prefere sua cidade Atlanta, onde tem um bom emprego, uma melhor amiga fiel (Bridgette) e Tolph, um “quase- namorado”.
Ao chegar em Paris, Anna faz novos amigos, um deles é Étienne St. Clair, um garoto inteligente, apaixonado por história, charmoso e bonito.
Ele leva Anna para conhecer a Cidade Luz e vivem muitas aventuras juntos. Mas é uma pena: Étienne tem namorada…
As coisas complicam com a aproximação dos dois. Enquanto isso, uma decepção espera Anna em Atlanta. E Étienne precisa enfrentar seu pai devido a algumas situações inesperadas. 
No meio de tantos desencontros, será que Anna conseguirá o tão esperado beijo francês em Paris? Ou certas coisas simplesmente não estão destinadas a acontecer?

Minha nota: Eu simplesmente amei este livro! Se tornou o meu favorito. Primeiramente porque me identifiquei com a Anna em vários sentidos: ela tem um blog (sobre filmes, mas tem um blog…), faz aniversário em fevereiro, sua mãe é professora, etc. E eu teria as mesmas atitudes que a personagem em muitas ocasiões.
Em segundo lugar, porque Stephanie passou melhor do que ninguém, em linguagem simples, a ideia da exaustiva pergunta que todas fazemos um dia: “mas ele gosta de mim?”.
Étienne é um fofo e um personagem apaixonante! Porém deixa Anna confusa o ano inteiro em Paris!
Mas a leitura é como uma xícara de chocolate quente: a cada gole, você se derrete!

Primeira vez que faço um post como este: cheio de fotografias e de resenha de livro! Se vocês curtirem, faço sempre!!!
Um beijo, Joyce.